Trevo da Eny terá alças interditadas para melhorias no pavimento

Trevo da Eny terá alças interditadas para melhorias no pavimento

CART realizará os serviços na quinta e na sexta, durante o dia, com liberação do tráfego no período noturno

Três alças do dispositivo localizado no km 235 da SP-225 – Rodovia Engenheiro João Baptista Cabral Rennó, mais conhecido como Trevo da Eny, serão interditadas nesta quinta (16) e sexta-feira (17) para realização de obras de reforço no pavimento. Os trabalhos serão realizados durante o dia, com a liberação das alças para o trânsito no período da noite.

O fechamento das alças ocorrerá em ambos os sentidos, mas não será de forma simultânea. A primeira intervenção será na alça de saída da SP 225, que faz ligação com a SP-300 – Rodovia Marechal Rondon, no sentido Capital. Em seguida, será fechada a alça de saída localizada apenas alguns metros à frente, também no sentido Capital. Essa alça é utilizada como opção de retorno à SP 225 ou por aqueles que desejam seguir em direção a Bauru pela Rodovia Marechal Rondon. Durante o período de interdição, a alternativa aos motoristas será utilizar o dispositivo seguinte, localizado no km 234, próximo ao campus da Unesp.

A terceira intervenção ocorrerá na alça de saída do km 235 da SP-225 no sentido oposto, ou seja, em direção a Piratininga. Esta alça é utilizada para retorno, no sentido Jaú, e também como acesso para a Rodovia Marechal Rondon no sentido Botucatu. Neste caso, a rota alternativa aos motoristas é seguir até o dispositivo do km 237, próximo aos residenciais Villaggios, e fazer o retorno.

A CART pede aos motoristas que reduzam a velocidade e redobrem a atenção ao se aproximarem dos trechos em obras. O local estará devidamente sinalizado com reforço de placas de advertência, homens-bandeiras, dispositivos de sinalização e equipes treinadas para a execução e para orientação dos usuários sobre a alteração. Em caso de chuva, os serviços serão reprogramados.

Sobre a CART

As rodovias da CART contribuem para a expansão do comércio, indústria, do agronegócio, do turismo e da prestação de serviços nos 34 municípios cortados pelo Corredor. Monitorada e 100% duplicada, a concessão confere segurança e agilidade no trânsito de cargas, conectando o Oeste Paulista com os principais pontos de escoamento da produção do Brasil e ocupa posição de destaque nos índices de avaliação de qualidade das rodovias da CNT – Confederação Nacional do Transporte.

Canal de Ética e Privacidade