CART executa plano emergencial para barrar descida de lama de propriedades rurais

CART executa plano emergencial para barrar descida de lama de propriedades rurais

Tráfego tem novo sistema operacional para andamento dos serviços

O plano emergencial definido por equipes de engenharia, operações e meio ambiente da CART Concessionária de Rodovias para estabilizar as constantes ocorrências de carreamento de sedimentos provenientes de propriedades lindeiras à SP-270 – Rodovia Raposo Tavares, precisamente no km 630, em Presidente Venceslau, avança para novas etapas do plano de execução.

Após a conclusão da limpeza dos resíduos por lavagem das faixas, processo necessário para preservar as condições do pavimento e a segurança do usuário, a Concessionária também irá revitalizar a sinalização vertical e horizontal do trecho. O tráfego já segue em pistas distintas com a separação física para melhor segurança dos usuários, mas ainda em condição que exige atenção do motorista.

“A partir do novo plano operacional, liberamos o fluxo rodoviário nos dois sentidos. Os veículos circulam pela faixa da esquerda no sentido Leste [interior-capital]. Este estreitamento é necessário para a continuidade do plano emergencial de contenção.

Já no sentido Oeste [capital-interior], somente o acostamento está interditado, as pistas estão liberadas e por isso, orientamos o motorista a obedecer a sinalização local e reduzir a velocidade no deslocamento entre os quilômetros 630+200 e 629+720”, afirma Luis Santos, gerente de Operações da CART.

Ainda na quarta-feira, 1, foram instalados 18 metros de barreiras de concreto do tipo new jersey às margens da pista Leste (Venceslau-Santo Anastácio), do lado das propriedades de onde ocorre a concentração de sedimentos com as águas das chuvas. Cinco carretas descarregaram 140 metros cúbicos de rachão (pedras) que irão reforçar a contenção do barro que vem a montante (de cima) até a jusante (abaixo).

“Este componente, barreira rígida, funciona para amortecer e conter parte dos detritos antes de chegarem na rodovia. O sistema cumpre a função de reduzir a força das águas e segurar uma parcela do   solo   que ficará retido na primeira barreira. Já o sistema feito de rachões vai funcionar como base de sustentação do aterro da pista. Seu objetivo é manter a estabilidade da plataforma da rodovia, mesmo com as chuvas, por ser um material drenante”, afirma Rafael Colchon, coordenador de Engenharia da CART. 

A CART tem enfrentado a constante obstrução do trecho da rodovia, reflexo da quantidade de chuva registrada, em condições muito acima do normal. “Com este alto índice pluviométrico, o ponto da ocorrência, recebe águas e sedimentos das áreas localizadas a montante. Reforçamos que, além das medidas da Concessionária em curso para mitigar a situação, a manutenção das curvas de nível, a preservação de mata ciliar nas margens do curso da água e a manutenção constante dos barramentos nas propriedades, evitariam o carreamento de solo para as pistas”, reforça Colchon.

Sobre a CART

As rodovias da CART contribuem para a expansão do comércio, indústria, do agronegócio, do turismo e da prestação de serviços nos 34 municípios cortados pelo Corredor. Monitorada e 100% duplicada, a concessão confere segurança e agilidade no trânsito de cargas, conectando o Oeste Paulista com os principais pontos de escoamento da produção do Brasil e ocupa posição de destaque nos índices de avaliação de qualidade das rodovias da CNT – Confederação Nacional do Transporte.

Canal de Ética e Privacidade